Notícias

novazul

Campanha Novembro Azul realizou ação social com foco na prevenção de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais (Foto: Leonardo Silva)

Mais de 80% dos acidentes de trabalho registrados no primeiro semestre deste ano em Campina Grande vitimaram homens, de acordo com dados do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador (Cerest-CG). A falta de prevenção e atividades perigosas estão entre os principais fatores de risco.

Em sua reta final, a campanha de promoção e prevenção à saúde do homem ‘Novembro Azul’, realizou ontem pela manhã, uma ação social com foco na prevenção de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. As atividades aconteceram no pátio da Associação dos Mecânicos, localizada no distrito dos Mecânicos, em Campina.

De acordo com a enfermeira do trabalho do Cerest-CG, Sanira de Fátima Marques, dos 597 acidentes notificados pela entidade nos primeiros seis meses de 2013, 486 vitimaram homens, 81,4% do total.

“A maior parte das vítimas tem entre 40 e 45 anos e trabalha na indústria calçadista. A maioria das notificações é de acidentes com operadores de máquinas, ou que trabalham em outras linhas de produção”, explicou.

Sanira ratificou que os homens se acidentam mais do que as mulheres porque estão mais ligados a atividades braçais, muitas de alto risco. “Os homens de modo geral trabalham mais com máquinas pesadas, veículos, em construções. Além disso, as mulheres têm demonstrado maior preocupação com a prevenção e maior atenção durante as rotinas de trabalho, inclusive no trajeto de ida e volta”, completou.

O setor de construção civil também tem vitimado muitos trabalhadores. Segundo a enfermeira do trabalho Josélia Neves, que atua no Cerest-CG e coordenou as ações desenvolvidas ontem na Associação dos Mecânicos, as quedas de grandes alturas são os acidentes mais comuns. “Temos casos graves e muitos de mortes durante o trabalho. Por isso é importantíssimo atentar para os cuidados de prevenção. O trabalhador precisa ser muito bem treinado e estar sempre com todos os equipamentos de proteção”, disse.

Entre as doenças que podem ser adquiridas no ambiente de trabalho, as mais comuns são as Lesões por Esforço Repetitivo (LER) e os Distúrbios Osteomoleculares Relacionados ao Trabalho (D.O.R.T). “Estes continuam sendo os problemas mais frequentes. Mas existem outros agravantes”, reforçou Josélia.

Serviços. A ação social foi realizada pelo Cerest em parceria com a Associação dos Mecânicos e ofereceu à população da área, com foco nos trabalhadores das oficinas, diversos serviços, entre eles emissão do Cartão SUS; orientações sobre câncer de próstata, DST/Aids, planejamento familiar e principalmente, prevenção de acidentes de trabalho.

O mecânico Matias Morais da Cruz prestigiou a ação e descobriu alguns problemas de saúde. “A pressão está alta. O nível de glicose não está bom. Índices de gordura também não. Acho que o estresse do trabalho também contribui”, falou. Mecânico há 30 anos, ele contou que viu um colega se ferir em atividade na semana passada. “Ele cortou o pescoço quando foi retirar uma peça de um carro. Por sorte não foi grave, mas poderia ter sido. A gente tem que se prevenir”.

A secretária de Saúde do município, Lúcia Derks, participou das atividades e lembrou a importância da prevenção. “Nosso objetivo é chamar a atenção do homem. Nós sabemos que o tempo do homem é um tempo limitado, por isso estamos trazendo ações para ele durante o ‘Novembro Azul’ e já fizemos a solicitação ao prefeito Romero para a instalação aqui no Distrito dos Mecânicos de um posto permanente, para prevenção não só de acidentes, como também de doenças ocupacionais e de outras doenças mais comuns ao homem.”

Com Jornal da Paraíba